05/07/2021 às 19h56min - Atualizada em 05/07/2021 às 19h56min

Aprovado projeto de Bruno que permite ao motorista pagar o pedágio com cartão ou aplicativo

Atualmente, a concessionária só aceita o pagamento em dinheiro

- Gleberson Nascimento
Gabinete do Deputado Bruno Lamas (PSB)
"Em tempos de tecnologia com tantas outras formas de pagamento, a Assembleia dá a sua contribuição”, declarou o socalista Bruno. Foto: Assessoria Parlamentar.


  
A Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda, 5 o projeto de lei do deputado estadual Bruno Lamas (PSB) que libera o pagamento do pedágio na Rodovia do Sol e na Terceira Ponte com uso dos cartões de aproximação, de crédito e débito, além de aplicativos.

Atualmente, a Rodosol só aceita o pagamento em dinheiro e exige o retorno dos motoristas que não possuem o valor da tarifa em espécie.

“É uma vitória para o consumidor capixaba. Espero que a proposta aprovada também seja sancionada pelo governador Renato Casagrande (PSB) e vire lei. Agora, os usuários que passam pelas rodovias estaduais terão a oportunidade de pagamento com todas as formas de tecnologia: cartão por aproximação, cartões de crédito e débito e aplicativos”, comemorou o deputado Bruno Lamas. 

De acordo o parlamentar, a proposta – que foi tema de uma audiência pública com o presidente da Rodosol, Geraldo Dadalto, na Comissão de Assistência Social da Assembleia Legislativa, na semana passada – vai corrigir uma injustiça com o motorista.  

“Atualmente, a concessionária só aceita o pagamento em dinheiro. É comum o cidadão chegar até o pedágio e não ter o dinheiro, o que o leva a ter de procurar um caixa eletrônico. Então, a Assembleia está legislando em sua essência. E num momento em que a Terceira Ponte recebe investimentos do governo do Estado. Estamos fazendo valer o direito do consumidor”, frisou Bruno, que destacou o fato da concessão durar somente mais dois anos.

Pela proposta de Bruno, “os contratos de concessão de rodovias estaduais deverão prever a possibilidade de pagamento da tarifa do pedágio por diferentes meios, incluindo, obrigatoriamente, cartões de crédito e débito. O contribuinte pode efetuar ainda o pagamento através de carteiras eletrônicas (PicPay) para transferir valores e efetuar pagamentos. 

“Também estabelecemos os direitos e os deveres do contribuinte de pedágio em vias públicas estaduais. Ele não pode ser submetido a tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor. E tem o direito de receber a nota fiscal detalhada”, destacou Bruno. 

O presidente da Comissão de Assistência Social, Marcos Garcia (PV), destacou o trabalho de Bruno e lembrou que a Rodosol foi questionada. 

“É muito constrangedor para um motorista que vem ao Estado para visitar um parente, que está com a família, criança no carro, que já teve outras opções de pagar o pedágio em outras praças, só poder pagar em dinheiro aqui no Estado, ter de voltar 40 quilômetros para procurar um caixa eletrônico”, afirmou Garcia.

O presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso, também destacou a importância do projeto. “Em tempos de tecnologia, de Pix, PicPay e de tantas outras formas de pagamento, a Assembleia Legislativa dá a sua contribuição”, declarou. Antes de ser aprovada em plenário, a proposta de Bruno Lamas foi aprovada nas comissões de Justiça, Defesa do Consumidor, Mobilidade Urbana e Finanças.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

45.7%
23.9%
30.3%