12/10/2021 às 19h58min - Atualizada em 12/10/2021 às 19h58min

José Romário: “Taxa alta de inscrição atrapalha desenvolvimento do atletismo”

Romário é um dos atletas mais carismáticos do ES

- Peter Falcão
Pauta Livre Assessoria
A Equipe Romário treina todas as terças e quintas-feiras, às 6 horas, no município de Vila Velha. Foto: Divulgação.



Um dos melhores corredores do Estado, sobretudo, nas décadas de 1990 e 2000, José Romário da Cruz faz um alerta: o alto valor das inscrições das provas está atrapalhando o desenvolvimento do atletismo, principalmente por prejudicar a revelação dos novos talentos. 

 

Na avaliação do José Romário da Cruz, a corrida de rua continua sendo muito importante, porém se tornou o que classifica como  “jogo de marketing”.  

 

Não somente, segundo ele, as inscrições encareceram. Os atletas, atualmente, também, são menos valorizados em comparação às décadas passadas. 

 

“Muitos desistem de seguir a carreira ou até mesmo deste estilo de vida”, destacou. 

 

Romário acredita que os seus melhores tempos foram registrados nas 10 Milhas Garoto nas edições de 2005 e 2010; na Meia Maratona do Rio de Janeiro em 2008; e na São Silvestre, em São Paulo, no ano de 2011. 

 

Ele foi quatro vezes campeão capixaba nas Dez Milhas Garoto, de 2006 a 2010, época de grande efervescência da modalidade. E não se arrepende de ter abraçado o esporte. “Ajudei no reconhecimento do atletismo Capixaba, em âmbito nacional”, afirmou. 

 

“O atletismo me proporcionou também bom condicionamento físico e mental.  Hoje incentivo o atletismo promovendo a saúde coletiva”, disse. 

 

É que Romário, um dos atletas mais carismáticos do Estado, formou o seu time, a Equipe Romário, que treina todas as terças e quintas-feiras, às 6 horas, no município de Vila Velha, como trabalho voluntário. “Realizei um dos grandes sonhos da minha vida: transmitir para as pessoas tudo que aprendi nestas mais de três décadas de carreira”, comentou. 

 

Romário é cobrador de ônibus. Nasceu em Muniz Freire, no dia 29 de setembro de 1968. Mas começou a correr quando residia em Conceição de Castelo. 

 

Ainda compete. Treina todos os dias, de segunda a sábado, das 5 às 6h20, antes de ir trabalhar. Em sua casa, as estantes guardam mais de 600 troféus e medalhas. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

46.4%
23.4%
30.2%