03/01/2022 às 08h02min - Atualizada em 03/01/2022 às 08h02min

Sonaldo Almeida mantém, dignamente, dinastia capixaba dos grandes goleiros

Um atleta consagrado escritor do próprio destino

- Peter Falcão
Pauta Livre Assessoria
Como todo brasileiro, o grande arqueiro ama o futebol..Fotos de Peter Falcão.
 
 
 
Proveniente de um dos Estados mais pródigos de grandes arqueiros, sendo, inclusive, berço dos multicampeões do mundo, Pierre e Mão, o Sonaldo Almeida mantém, dignamente, a dinastia capixaba debaixo das traves, no futebol de areia. 

 

E o que é também significante: assim como Mão (em Jacaraípe), trilha os passos dos trabalhos sociais, mais empolgado do que nunca. 

 

O que não surpreende, afinal, Sonaldo é a entrega, em sua essência, em tudo o que faz. Um atleta determinado, um cara de coração gigante. Enfim, um escritor do próprio destino. 

 

Como todo brasileiro, o grande arqueiro ama o futebol. O seu pai o levou para treinar no Caxias onde fez sua base. “Precisou de goleiro no coletivo, aí fui para o gol e gostei”, recordou Sonaldo, rindo, do começo de sua trajetória. 

 

Para ele, a posição evoluiu muito e atualmente, mais de uma década depois, é essencial ter rapidez na decisão e saber jogar com os pés para “desafogar” os jogadores de linha. 

 

A maior alegria aconteceu na Arena da Praia de Camburi, em Vitória,  em 2013,  na sua primeira competição nacional, atuando pelo Vilavelhense, quando foi vice-campeão (perdendo a final para o poderoso Vasco da Gama) e eleito o melhor da posição. 

 

“Foi uma experiência única, indescritível. Nosso time foi muito bem, treinado pelo professor Alex Fabiano”, recordou. 

 

Sonaldo se sente atualmente feliz, treinando e fazendo o que ama e ainda  “passando o que sabe” para seus alunos no projeto social que desenvolve no Bairro da Penha, em Vitória. É natural prever, desta forma, que grandes goleiros surgirão, brevemente, para o futebol de areia capixaba. 

 

No momento, na avaliação do capixaba, o melhor goleiro do Brasil é o titular da seleção brasileira, Rafael Padilha, que joga atualmente no Anchieta (tendo sido campeão capixaba e brasileiro de 2021) e que também defendeu Pedro Canário, bicampeão estadual em 2015.  

 

A melhor fase do goleiro foi em 2016 com o Rio Branco, quando impressionou bastante nos eventos regionais e nacionais. Sonaldo não tem arrependimentos em sua carreira. “Não faria nada diferente Sempre dei o melhor de mim em tudo que fiz”, disse. 

 

O principal projeto para 2022 é continuar os treinamentos junto com seu projeto, ajudando as crianças do bairro a crescerem em todos os aspectos, com exemplos positivos. 

 

Chegar à seleção brasileira é, segundo ele, um sonho de criança. Por isso continua trabalhando forte.

 

O tempo disponível, ele diz, bem humorado, “fica correndo atrás das filhas no parque”.  

 

Ídolos, o grande jogador tem alguns. “O primeiro é Marquinhos, atual presidente da federação, que via atuando pela televisão e logo depois esteve ao lado, treinando e jogando”. 

 

“Com Pierre não joguei, mas sempre admirei e tive o prazer de treinar com ele, grande fera. Mão tive o prazer de treinar e jogar com ele. Todos grandes atletas e ídolos do esporte”, finalizou. 

 

“Agradeço muito a tudo o que o esporte me proporcionou e me oferece até hoje. Quero muito retribuir com o meu trabalho social", destacou. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

46.6%
23.3%
30.1%