05/04/2022 às 05h18min - Atualizada em 05/04/2022 às 05h18min

Paulo Sergio: “Tite tem que tornar Neymar menos individualista”

O ex-goleiro atuou no Fluminense, Botafogo e Vasco

- Peter Falcão
Pauta Livre Assessoria
Na visão de Paulo Sérgio, as seleções favoritas são: além do Brasil, pela tradição, França, Espanha, Alemanha e Bélgica. Fotos: Peter Falcão.
 

 

 

O ex-goleiro do Botafogo (RJ), Fluminense (RJ), Vasco (RJ) e da Seleção Brasileira e comentarista esportivo da TV Gazeta, Paulo Sergio de Lima, revela que está confiante na participação da Seleção do Brasil, na Copa do Mundo do Catar, até as quartas de final. 

 

Segundo ele, a partir daí a participação é uma incógnita, pois, com certeza, o Brasil terá adversários europeus mais qualificados e com maior tradição em Copas, os quais ultimamente raramente enfrenta. “Por isso o Brasil vai depender muito de ótimas atuações para vencer a Copa”, analisou. 

 

Na sua visão, as seleções favoritas são: além do Brasil, pela tradição, França, Espanha, Alemanha e Bélgica. 

 

Até lá o técnico Tite tem que corrigir alguns defeitos. “Temos que ter   maior velocidade na saída da defesa para o ataque e fazer com que Neymar seja menos individualista e jogue mais para o time, dando seguimento às jogadas iniciadas”, disse. 

 

Paulo não acredita que Tite deva observar e testar mais algum jogador. “Não vai não, já que não foram testados até agora e ele não tem nem mais tempo, na verdade, para testes”, comentou. 

 

O comentarista não levaria Gabigol, do Flamengo para a Copa. “Existem na Seleção melhores atacantes”, afirmou. 

 

O ex-goleiro Paulo Sergio nasceu em 24 de julho de 1954, no Rio de Janeiro. Atuou por diversos clubes, como Fluminense, Botafogo e Vasco. Foi reserva da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982.  

 

Na década de 1990, após encerrar a carreira nos gramados, foi um dos integrantes da primeira geração que popularizou o beach soccer no país, integrando, durante muitos anos, a Seleção Brasileira da modalidade. No final dos anos de 1990 fundou a Federação de Beach Soccer do Espírito Santo que presidiu durante mais de 20 anos. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

47.2%
23.1%
29.7%