12/07/2022 às 06h32min - Atualizada em 12/07/2022 às 06h32min

Fotos do telescópio James Webb revelam galáxias pouco após o Big Bang

Maior telescópio espacial já construído dá prévia de grande espetáculo marcado para esta terça-feira

Agência Internacionais
A imagem é do aglomerado de galáxias SMACS 0723, a cerca de quatro bilhões de anos-luz de distância. Foto: Divulgação Nasa.

 

A Nasa divulgou pela primeira vez uma imagem do telescópio James Webb, o maior telescópio espacial já construído, que foi lançado no final do ano passado.

A fotografia, exibida em um breve evento na Casa Branca na noite desta segunda-feira com a presença do presidente americano, Joe Biden, mostra um pedaço distante do céu, em um momento em que galáxias recém-nascidas tornavam-se visíveis apenas 600 milhões de anos após o Big Bang.

A imagem foi saudada por Thomas Zurbuchen, pesquisador associado da NASA para Ciência Espacial, como a visão mais profunda já vista do passado do Universo.

O anúncio, todavia, foi só um aperitivo para a grande apresentação marcada para a manhã de terça-feira, quando os cientistas vão revelar o que o Webb tem observado nos últimos seis meses.

Há uma enorme especulação sobre o conteúdo dessas imagens, que mostrarão o céu em infravermelho com extraordinária clareza.

Durante trinta anos, o telescópio Hubble forneceu visões magníficas de galáxias e nebulosas, nas quais se destacam enormes nuvens de poeira opaca. Este é o caso da famosa imagem dos "Pilares da Criação" e da espetacular "Cabeça de um Cavalo". Já o Webb consegue atravessar esses obstáculos e revelar as milhares de estrelas que estão escondidas dentro das nebulosas.

Uma das missões mais ambiciosas do telescópio Webb é estudar algumas das primeiras estrelas e galáxias que iluminaram o universo logo após o Big Bang, há 14 bilhões de anos.

A imagem desta segunda-feira ainda não mostrou todo o potencial do telescópio, mas, por outro lado, provou o princípio da técnica e sugeriu o que mais pode estar por vir.

A imagem é do aglomerado de galáxias SMACS 0723, a cerca de quatro bilhões de anos-luz de distância. A imagem revela um pedaço do céu visível do Hemisfério Sul na Terra e frequentemente fotografado pelo Hubble e por outros telescópios em busca do passado profundo.Os astrônomos usam esse aglomerado de galáxias como uma espécie de telescópio cósmico. O enorme campo gravitacional do aglomerado atua como uma lente, distorcendo e ampliando a luz de galáxias localizadas atrás dele que, de outra forma, seriam muito fracas e distantes para serem vistas.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »