01/08/2022 às 07h01min - Atualizada em 01/08/2022 às 07h01min

Vila Pavão desenvolve Pomitafro na Sala de Aula

Pomitafro vem da junção dos nomes Pomeranos, Italianos e Afros

- Cléber Sabino
Assessoria de Comunicação Vila Pavão
A festa homenageia a origem, culinária, arquitetura, danças típicas e outros costumes das três etnias. Foto: Cleber Sabino.

A cultura de um povo é formada por vários elementos, como crenças, ideias, mitos, valores, danças, festas populares, alimentação, modo de se vestir, entre outros fatores. É uma característica muito importante de uma comunidade, pois a cultura é transmitida de geração em geração e demonstra aspectos locais de uma população.

Assim, o projeto Pomitafro na Sala de Aula, surgiu da necessidade de resgatar nas escolas a valorização pelas raízes culturais e étnicas do povo pavoense. E, sendo a Pomitafro, uma festa que foi criada com a finalidade de integrar os diversos grupos de imigrantes da região, optou-se por todos os anos reviver toda a sua história.

O nome Pomitafro vem da junção dos nomes Pomeranos, Italianos e Afros. Grupos étnicos que predominam entre a população de Vila Pavão, e que vieram para o Brasil em séculos passados.

Mais do que integrar esses três povos, a Pomitafro é uma oportunidade de se divulgar manifestações folclóricas de várias outras origens.

Os  Educadores lembram que as atividades são desenvolvidas pelos alunos e professores, e depois, são expostas ao público durante a Pomitafro, como forma de divulgar os trabalhos das escolas.

Entre os objetivos da Pomitafro na sala de aula, podemos destacar: Desenvolver atitudes democráticas e de respeito às diferenças, reconhecendo e valorizando a diversidade étnico-cultural brasileira; Proporcionar momentos de reflexão e debate sobre a questão racial brasileira, possibilitando a formação de conceitos e conclusões; Proporcionar de forma lúdica, uma oportunidade de maior conhecimento sobre a cultura negra; Promover reflexão e debate sobre estereótipos e preconceitos cristalizados no modo de pensar das pessoas, sobre os povos negros, italianos e pomeranos e sua cultura; Conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como os aspectos socioculturais de outros povos e nações, evitando-se qualquer posição discriminatória baseada em diferenças culturais, de classe, crença, sexo, etnia ou outras características individuais ou sociais.

 

As atividades alusivas à Pomitafro na Sala de Aula envolvem as escolas da rede municipal. A abertura dos trabalhos aconteceu na última terça-feira 26, na escola Professora Esther da Costa Santos com a Palestra: “A Língua e a Cultura”, proferida pelo sociólogo, professor e pesquisador da cultura pomerana, Jorge Kuster Jacob.

As atividades e estudos sobre a origem, culinária, arquitetura, danças típicas e outros costumes das três etnias predominantes que ajudaram a colonizar a região continuam ao logo dos próximos dias nas escolas, cada uma,  tendo a liberdade de enfocar os assuntos de forma apropriada.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »