12/11/2019 às 12h43min - Atualizada em 12/11/2019 às 12h43min

Deputada concede comenda Dário Martinelli

Café capixaba é um dos pilares da nossa economia

- Ângela Beserra
Monumento no centro de São Gabriel da Palha em honra a cafeicultura capixaba

Instituída em 2018, a comenda Dário Martinelli será entregue este ano, em sua maioria, aos agricultores rurais que participam da cafeicultura há gerações e elevam o nome do Espírito Santo na qualidade do café brasileiro.

A Assembleia Legislativa (Ales) promove sessão solene em homenagem à Cadeia Produtiva do Café, nesta quarta-feira 13, a às 15 horas, no Plenário Dirceu Cardoso. A deputada estadual Raquel Lessa (Pros) é a proponente da sessão que concede aos homenageados a Comenda do Mérito Dário Martinelli, ‘pai do Café Conilon’.

Entre os selecionados para receber a honraria estão o secretário estadual de Agricultura, Paulo Foletto e o diretor do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural, Antônio Carlos Machado (Toninho do Incaper). O evento será transmitido ao vivo pela TV Assembleia. 

“É na lida do dia a dia que homens e mulheres que cultivam o café capixaba vão agregando valor, às vezes sem perceber, a reconhecida qualidade da produção do Espírito Santo” – frisa a deputada que fez questão de homenagear a família do campo nesta solenidade: “Valorizar as trajetórias dessas vidas vai de encontro ao grande exemplo de determinação do Sr. Dário Martinelli, um homem que em face da maior crise do seu município, acreditou na sua gente para retomar a economia”. 

Durante a solenidade será entregue a Comenda do Mérito Dário Martinelli, criada pela Resolução 5.291/2018 para homenagear os profissionais envolvidos no processo de cultivo e industrialização do café. A partir das 15 horas, haverá degustação do café Guardião, da Cooabriel, maior cooperativa de Conilon do mundo com 55 anos de tradição. Lançado este ano, o produto é comercializado em duas versões: extraforte e tradicional, com embalagens de 250 gramas.

O Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural) estará presente divulgando os levantamentos de pesquisas e tecnologias para a cafeicultura capixaba, o aumento de produtividade e melhoria da qualidade. 
Dário Martinelli

Martinelli foi considerado o “pai do conilon” no Espírito Santo, em função de esforços feitos para superar a crise gerada, em São Gabriel da Palha, pelo Programa de Erradicação do Café do Governo Federal na década de 60.  Ele nasceu em Santa Teresa, em 1933, e começou sua trajetória política no final da década de 1960 como vereador em São Gabriel da Palha. Exerceu o cargo de prefeito do município por dois mandatos. Foi também deputado estadual. Faleceu em setembro de 2015. 

A cafeicultura é a principal atividade agrícola do Espírito Santo, desenvolvida em quase todos os municípios capixabas. Gera em torno de 400 mil empregos diretos e indiretos e está presente em dois terços das 90 mil propriedades agrícolas do Estado.

O Espírito Santo é o 2º maior produtor brasileiro de café, com expressiva produção de arábica e conilon. É responsável por 25% da produção brasileira, em média. Atualmente, existem 432.508 hectares em produção no Estado, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A atividade cafeeira corresponde a 43% do Produto Interno Bruto (PIB) agrícola capixaba.
A produção de café está em todas as regiões do Estado de maneira bastante diversificada, começando pelas espécies cultivadas. A cafeicultura capixaba é praticada em diferentes altitudes, sendo o arábica mais cultivado em regiões de temperaturas mais baixas e altitudes acima de 500 metros, enquanto o conilon é característico de regiões mais quentes, normalmente plantado abaixo de 500 metros de altitude.
Arábica
O café arábica é a principal fonte de renda em 80% das propriedades rurais capixabas localizadas em terras frias e montanhosas. O Espírito Santo é o terceiro maior produtor de arábica do Brasil, ficando atrás apenas dos estados de Minas Gerais e São Paulo. Atualmente, existem 166.043 mil hectares de café arábica no Espírito Santo espalhados por 48 municípios capixabas. Estima-se que a produção envolva 53 mil famílias. A cafeicultura de arábica gera em torno de 150 mil empregos diretos e indiretos.

Os maiores produtores capixabas de café arábica são os municípios de: Brejetuba, Iúna, Vargem Alta, Ibatiba, Muniz Freire, Irupi, Afonso Claudio, Domingos Martins, Ibitirama, Castelo, Mimoso do Sul, Santa Teresa.

 O Espírito Santo é o maior produtor de café conilon do Brasil, responsável por cerca de 70% da produção nacional. Somente o Estado é responsável por até 20% da produção desse tipo de café no mundo.

O café conilon é a principal fonte de renda em 80% das propriedades rurais capixabas localizadas em terras quentes. É responsável por aproximadamente 30% do PIB agrícola capixaba. Atualmente, existem 266.465 hectares plantados de conilon no Estado. São 40 mil propriedades rurais em 63 municípios, com 78 mil famílias produtoras.

O café conilon gera 250 mil empregos diretos e indiretos.

O Estado é considerado uma referência nacional, destacando-se também no cenário mundial, no desenvolvimento da cafeicultura do conilon, com uma produtividade média que já alcançou 35 sacas por hectare (sc/ha). Muitos produtores chegam a colher mais de 100 sc/ha.

Os maiores produtores de café conilon do Espírito Santo são os municípios de:  Jaguaré, Vila Valério, Nova Venécia, Sooretama, Linhares, Rio Bananal, São Mateus, Pinheiros, Governador Lindenberg, Boa Esperança, Vila Pavão, São Gabriel da Palha, Colatina e Marilândia.

Homenageados

01- Paulo Roberto Foletto - SEAG
02- Antônio Carlos Machado - Incaper
03- Adeilson José Lorencini - Vila Valério
04- Adenilson Ferreira dos Santos - Vila Pavão
05- Advaldo Antônio Zotelle - São Gabriel da Palha
06- Angela Maria Risse Boecker - São Gabriel da Palha
07- Antonio Lima de Andrade - São gabriel da Palha
08- Aurea Drago Mantovanelli - Marilândia
09- Carlos Schwartz - Pancas
10- David Kipert Nascimento - Vila Valério
11- Elmir Ton - São Gabriel da Palha
12- Eugênio Quiuqui - Águia Branca
13- Flávio Bastianello - Nova Venécia
14- Frederico Scharamm Filho - Governador Lindenberg
15- Gervasio Camata - Marilândia
16- Ildevar Prando - Governador Lindenberg
17- Joacir Ferreira da Fonseca - Águia Branca
18- João Colombi Neto - São Gabriel da Palha
19- José Alves de Matos - Marilândia
20- Lindemar Sarter - Vila Pavão
21- Mário Tadeu Andréa - São Gabriel da Palha
22- Mateus Merlin Lourenço - Nova Venécia
23- Onivaldo Lorenzoni - São Gabriel da Palha
24- Paulo Roberto Alves Roberti - Vila Valério
25- Paulo Sérgio Volpi - Marilândia
26- Rodrigo Márcio Rigo - São Gabriel da Palha
27- Ronan Roque Fortuna - São Domingos do Norte
28- Tiago dos Santos - Alto Rio Novo
29- Valdeir Geraldo Delazari - Águia Branca
30- Waldir Feroni Júnior - São Domingos do Norte
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

44.4%
24.2%
31.5%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...