26/11/2020 às 20h42min - Atualizada em 26/11/2020 às 20h42min

Divórcio dói

Sentir-se só tendo alguém é uma solidão que machuca muito

- Flávia Oleare é advogada civilista, especialista em direito de família
Divórcio dói. É uma dor na alma.

Às vezes é sentida até fisicamente. O coração arde. 

É o desfecho de um sonho.

De um projeto de vida.

Mesmo para quem decide, não é fácil. Mesmo quando ambos decidem junto, é difícil.

Afinal, em regra, não era a finalização pretendida quando, tempos atrás, decidiram pelo casamento.

Trata-se do reconhecimento de que aquilo no qual se investiu tempo, emoções e vida não tem mais como continuar.

Sim, indiscutível que há pessoas mais desapegadas, que trocam de parceiro ou de casamento como se fosse algo “descartável”.

Mas para a grande maioria que não é assim e realmente se dedicou ao relacionamento, inevitavelmente há um período de luto para elaborar essa perda.

Felizmente, sabemos, as pessoas se reinventam, descobrem novos motivos para serem felizes, e em grande parte das vezes, reconhecem que foi o melhor.

Afinal, viver com alguém em desarmonia é muito pior do que viver sozinho, sem um parceiro.

Sentir-se só tendo alguém é uma solidão que machuca muito.

Mas em regra, depois de um tempo, quando a pessoa se descobre livre daquele luto, há uma grande sensação de alívio.

A pessoa redescobre o amor-próprio, por vezes relegado a último plano durante os anos de relacionamento.

Não são poucos os casais que atendo e que encontro tempos depois,felizes com a nova vida.

É chavão mas é a verdade... tudo passa. E essa dor também vai passar.
 
 
 
 
 
 
 
 
Link
Direito de Família

Direito de Família

Flávia Oleare é advogada civilista, especialista em direito de família

Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

45.7%
23.9%
30.3%