25/06/2021 às 20h06min - Atualizada em 25/06/2021 às 20h06min

A história do UACEC nos 100 anos de Colatina

O escrete nasceu de um grupo de estudantes do Colégio Estadual Conde de Linhares.

- Por Paulo César Dutra (Cesinha)
Presente & Passado
UACEC Anos de 1960..Em pé: Nelson Barcelos, Domingao, Tadeu, Décio Mamao, Magnago e Delio Maia. Agachados: Gesil , Ronaldo Bernardina, Itamar, Sinval e Gibira. Foto: Reprodução Jorge Souza.
 
 
A União Atlética Colégio Estadual de Colatina o UACEC, foi um time de futebol de Colatina durante as décadas de 50,60 e 70 quando fez muito sucesso no futebol amador e profissional da cidade, que disputou em várias ocasiões  o Campeonato Estadual do Espírito Santo. A equipe nasceu de um grupo de estudantes do Colégio Estadual Conde de Linhares.
 
UACEC era uma equipe temida na região Norte capixaba, teve vários ótimos jogadores em seu elenco, com isso criava ódio dos adversários. Um destes craques a criar ódio dos adversários era o jogador Belo, que teve passagens por times profissionais do Rio de Janeiro.  Era um jogador completo, bom cabeceador, driblador, finalizador, que fazia muitos gols.
 
No que dizia a respeito do futebol amador de Colatina, entre 1950 e 1970, o nível era sempre foi alto. Tanto é que por contar com grandes equipes de futebol, o Campeonato de Colatina era considerado melhor e maior do que o Campeonato Estadual. Por isto, o UACEC, que era considerado o melhor time da cidade,  tinha grandes adversários como Vila Nova, América, São Silvano e Atlético Colatinense. Eram partidas duras e mesmo assim o UACEC tinha sequências históricas como no título de 57 onde ficou invicto por vários jogos.
 
Uma passagem que mostra como o campeonato colatinense era levado a sério, em 1956, após a final em que o Vila Nova  por 2x1 o UACEC, e ganhou o título da cidade, surgiu uma grande polêmica, porque o cidadão Nelson Varagio árbitro desta partida teria afirmado que foi comprado por pessoas ligadas ao Vila Nova, para facilitar o jogo. A diretoria do Vila Nova equipe se defendia, afirmando que seus jogadores não precisavam de ajuda do árbitro  para vencer os adversários.
 
Como resposta sobre a acusação de comprar Nelson, Tutti Bolchascko presidente do Vila Nova deu a seguinte  declaração. "São estas as graves consequências que nos trás o capitalismo destruidor e inimigo número 1 da honestidade, mas que a pensar de poderoso, será arrasado pela honra e dignidade do povo que é ainda mais forte. Então teremos a palavra suborno afastada do nosso meio e não mais usada para justificar as derrotas."
 
O UACEC disputou várias vezes o Campeonato Estadual e só em uma delas, apesar de ter vencido o jogo em casa, não foi campeão pelo saldo de gols. Ele jogou também o Campeonato do Interior por algumas vezes, em 1961 e 1962 inclusive foi o campeão, onde os clubes do interior disputavam competição paralela a da capital (Taça Cidade de Vitória), algumas oportunidades o time da capital enfrentava o do interior valendo título de campeão estadual.
 
Em 1973 na última disputa de Série A o UACEC encerrou a participação em último lugar entre as oito equipes que disputaram a competição. Ele alcançou duas vitórias, ambas no final do turno, surpreendente 3x1 sobre o Vitória e  1x0 sobre a Ferroviária de João Neiva.  No turno a equipe encerrou com cinco pontos em sete jogos e ficou na sétima posição. Já no 2º turno encerrou em 8º lugar com quatro pontos em sete jogos. Ao todo foram 14 partidas em 1973 com 2 vitórias, 13 gols marcados contra 26 sofridos.
 
Na penúltima rodada, em solo colatinense, o UACEC empatou em 1x1 com a Ferroviária de João Neiva,  no estádio Justiniano de Melo e Silva. A última partida na 1ª divisão aconteceu fora de casa, no Estádio Salvador Venâncio da Costa, na Capital,  contra o Vitória quando o UACEC perdeu por 4x0.  Em 1973, o UACEC  recebeu o Flamengo/RJ para uma partida amistosa. O time de Colatina perdeu de  6x1 para o time carioca, com direito a um gol de Zico, no dia 25 de maio de 1973, no Justiniano de Melo e Silva.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

46.4%
23.4%
30.2%