28/01/2022 às 16h32min - Atualizada em 28/01/2022 às 16h32min

4 ÁrVorES condenadas à morte em Colatina

O restante do conjunto de árvores da Benjamin Costa e da Cidade vêm na rebarba

- Nilo Tardin
DDC News
A autarquia da prefeitura está decidida a eliminar os indivíduos arbóreos visando passar uma adutora. Fotos: Nilo Tardin

           

 


A bela alameda arborizada de ponta a ponta ficou desfalcada. O Serviço Colatinense de Saneamento Ambiental (Sanear) acaba de decepar na manhã desta sexta-feira, 28 parte do arvoredo na Rua Benjamin Costa, bairro Adélia Giuberti, em Colatina, noroeste do Espírito Santo.

 

Dois pés de frutíferas adultas foram derrubados sem dó nem piedade na fachada da loja maçônica. O tentáculo destruidor da prefeitura não deu trégua em nome da reforma de uma calçada nada cidadã pelo visto. 

 

É um ensaio geral pré-carnavalesco do samba do crioulo doido  para promover o corte raso  das 4 ÁrVores enfileiradas em frente ao prédio do Sanear. O restante do conjunto de árvores da alameda vem de  rebarba. 

 

A Benjamin Costa é uma das vias mais arborizadas do Bairro Adélia Giuberti , numa cidade sem árvores. Um exemplo: a Avenida Sílvio Avidos, em São Silvano - maior e mais populoso bairro colatinense -, sem nenhuma copa verde na sua quilométrica extensão. Ufa que calor infernal. 

 

Tudo indica que o assassinato em série do caminho orlado de árvores já começou. A justificativa alegada para a supressão do arvoredo do sanear e da maçonaria é de que atrapalha a circulação de pedestres e cadeirantes. Putz. Nessa mesma situação existe ao menos cerca 300 árvores adultas na área urbana de Colatina. 

 

A solução está a menos de 30 metros dali. Na calçada alargada do Fácil Fácil, futura sede da prefeitura. Os arquitetos e engenheiros na época ouviram e respeitaram a opinião do Commam. 

 

A cepada abre outro  precedente inquietante. O corte raso de árvores no município virou uma questão moral. Na calçada da prefeitura pode. Em frente a residência do cidadão contribuinte não. Durma com um alarde desse. 

 

Os quatro Oitis - Licânia tomentosa - estão condenados. Ou seja,  as 4 ÁrVorEs correm sério perigo de morte. A direção do Sanear se mantém intransigente. Alega que o arvoredo atrapalhará a passagem de um adutora. Os ambientalista reagem dizendo que encanamento poderá ser escavado no meio da rua. Ou seja: Motivo Zero para cortar as árvores. 

 

Numa votação a toque de caixa, o Conselho de Meio Ambiente de Colatina (Commam) condenou a morte, os quatro seres arbustivos plantados há décadas no local. 

 

 Por 7 a 2 o conselho mandou cortar.  Não esperou a apresentação do projeto alternativo de alargamento da calçada, contorno das árvores e encamisamento das raízes. O plano de salvamento das 4 ÁrVorEs está sendo elaborado por professores de alunos do Ifes das áreas de urbanismo e meio ambiente. 

 

O caso foi parar na 11ª Promotoria de Justiça de Colatina. Foi uma  pedido dos representantes da Acode (Associação Colatinense de Defesa Ecológica) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). O ministério público pediu a suspensão do corte da 4 ÁrVorEs do Sanear. Gerou a Notícia de Fato nº 202100225539. Ainda avalia a questão. 

 

Mesmo a vizinha loja maçônica que já havia concordado com em realizar o contorno das árvores, foi incluída na autorização de corte pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Colatina (Seduma).

 

Não deu outra. O zunido das motosseras do Sanear falaram mais alto. Deitaram  por terra, o arvoredo, lar dos pássaros - sabiás, bem-te-vis- coleiros e canários que encantam e cantam a rua esverdeadas, um pouco acinzentada por quem é paga para protegê-las. Indignado com o corte das árvores, o delegado Regional Landulpho Lintz espera que as 4 ÁrVorES do Sanear não sejam cortadas, uma vez que projeta sombra perene na região.

“Vejo com indignação o começo do abate das árvores plantadas há décadas. 
A sombra impede que sol forte incida diretamente no prédio da delegacia, além de ser  usada pelos usuários na espera de atendimento na identificação e da própria delegacia. É preciso encontrar uma saída para evitar o corte numa das mais bonitas alamedas da cidade. Sou contra”, disse o delegado Lintz. Ele argumenta que cede vagas das viaturas para o alargamento da calçada da Benjamin Costa em frente ao Sanear. 

 

Outro Lado

 

 A Seduma confirmou hoje à tarde a autorização de corte das árvores da maçonaria, condicionada replantio de outras próximas ao local. Divulgou ainda que a diretoria do Sanear insiste no corte do 4 ÁrVorES do Sanear visando passar uma adutora no local. Mesmo sob o argumento da Seduma de  que o encanamento poderia passar  no  meio da rua, a diretoria da autarquia da prefeitura está decidida a eliminar os indivíduos arbóreos. 



 

Saiba Mais

 

Estudos promovidos pelo INPA já mostraram que uma árvore com copa de 10 metros de diâmetro é capaz de bombear para a atmosfera mais de 300 litros de água, em forma de vapor, em um único dia – ou seja, mais que o dobro da água que um brasileiro usa diariamente!

Detalhe

4 ArVorES é a forma poética Concretista criada para a campanha em prol da sobrevivência dos Oitis do Sanear

 

 

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

47.2%
23.1%
29.7%