22/08/2020 às 13h50min - Atualizada em 22/08/2020 às 13h50min

​Antiga estação terá terminal de ônibus, museu e farmácia em Colatina

Prefeitura projeta eliminar canteiros da Praça do Sol Poente, além de construir rotatória para melhorar o trânsito do centro

- Nilo Tardin
DDC Notícias
Colatina comemora 99 anos de criação do município neste sábado, 22 sem o tradicional desfile cívico e militar na Presidente Vargas devido a pandemia. A peroba ornamenta imponente a visão da majestosa Princesa do Norte. Foto: Nilo Tardin
Sem a tradicional comemoração de aniversário devido à pandemia que assola a humanidade, Colatina festeja neste sábado, 22 de agosto o aniversário de 99 anos de criação do município em 30 de dezembro de 1921. 

A Caminho do Centenário – 1921 – 2021 a cidade sofreu transformações avassaladoras ao longo do século. A reforma da antiga estação ferroviária na Praça do Sol Poente, iniciada esta semana planeja agora mudar desenho urbano de Colatina, noroeste do Espírito Santo.

Fim do Mistério. A falta de informação sobre o destino da estação mexeu com a imaginação do colatinense assim que o prédio de linhas modernistas começou ser fechado pelos tapumes. O corte de árvores também chamou a atenção dos passantes. 




Hoje, 22 Dia de Colatina, o prefeito Sérgio Meneguelli confirmou que a prefeitura projeta a construção de um terminal de ônibus, museu e farmácia básica no local que servia de parada ao trem de ferro. No espaço funciona uma unidade da polícia militar.
 

“A reforma geral vai manter as características originais. A proposta é tirar os pontos de ônibus da Catedral, INSS e Avenida Delta e concentrar no abrigo da estação. Uma forma de lembrar o passado de uma forma moderna, ali era ponto de passageiros do trem de ferro. Uma rotatória está prevista na Ângelo Giuberti e a remoção de parte dos canteiros onde estão as estátuas. Três delas serão tiradas do lugar. A torre do lado de fora será restaurada. A sala do museu terá no mínimo 250 metros quadrados. A retirada do ponto da Catedral devolverá a cidade um dos seus cartões postais”, informou Serginho.

Vencedor do concurso que deu nome a Praça do Sol Poente, o técnico agrícola Darcy Casteluber acredita que não deveriam ter decepado o arvoredo nem alterar a função social e cultural da praça. “Não tem cabimento. Não mexeria na praça. Abrigo de ônibus vai bagunçar tudo. Em vez de cortar é preciso plantar árvores. Inscrevi o nome sol poente inspirado no belo pôr do sol sobre o Rio Doce,”frisou Darcy . 



- Acabou praça se for assim, diz o ex-deputado Genivaldo Lievore preocupado com as ocupações que considera indevidas na Praça do Sol Poente. “Vai gerar aglomeração e poluição de ônibus e carros. É o fim do bucolismo da praça para as crianças com brinquedos infantis, lazer e feira de artesanato e culinária. O executivo, judiciário, ministério público e legislativo – por aprovar a lei -, contribuíram para afastar a finalidade cultural e social conforme o termo de doação pela Vale do Rio Doce. E o mais grave, sem consulta popular”, disse.

Aos 99 anos, a jovem senhora quase centenária apresenta vigor invejável de crescimento na área urbana. A abertura de novos loteamento criou bairros projetados e oferta de cerca de oito mil  lotes. Apresenta uma renda per capita de R$ 26,8 mil é o 238ª  entre os 5570 municípios brasileiros na faixa dos 123 mil habitantes, segundo o IBGE. 



Mais de 100 pessoas morreram pela contágio do Covid-19  nos últimos quatro meses. O prefeito de Colatina Sérgio Meneguelli em memória a data e as vítimas do coronavírus promoveu o hasteamento isolado da bandeira do município com tarja preta de luto neste 22 de agosto: Dia de Colatina.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

45.1%
24.2%
30.8%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...