20/04/2021 às 08h29min - Atualizada em 20/04/2021 às 08h29min

Centenário de Colatina em 2021

Colatina começou, fundada como parte da Vila de Linhares

- Por Paulo César Dutra (Cesinha)
Na década de 50, o município de Colatina se tornou o maior produtor mundial de café. Foto: Reprodução Altair Malacarne


O município de Colatina é reconhecido como uma das cidades mais populosos do Noroeste do Espírito Santo. Ela tem uma história repleta de curiosidades.

Os historiadores registram a cidade em 1833. Para eles foi neste ano que Colatina começou, fundada como parte da Vila de Linhares, com os povoados de Arraial da Barra de Santa Maria, Mutum de Boapaba e Barracão de Baunilha.
 
A primeira tentativa de colonização se deu em 1572, quando o português Nicolau Rodrigues dos Santos demarcou uma extensa área na margem esquerda do Rio Doce e dividiu-a em lotes, com o objetivo de instalar colonos estrangeiros. Batizada de Francivânia, portugueses, franceses e alemães o acompanharam nessa missão.

Porém não tiveram sucesso, porque os índios Botocudos que dominavam a área de floresta do Rio Doce de Colatina até Linhares e São Mateus, além de parte de Minas Gerais e impediam as entradas de índios inimigos e colonizadores. Por três séculos, desde a primeira entrada no rio Doce, ocorrida também 1572, chefiada pelo desbravador português Sebastião Fernandes Tourinho, rumo a Minas Gerais esta região se tornou intransponível.
 
Com enfrentamento dos nativos, doenças tropicais e clima diferenciado, a colonização durou apenas três anos. Propriedades foram destruídas e famílias massacradas pelos índios Botocudos. Tais índios foram os primeiros habitantes da região e os principais responsáveis pelo adiamento do povoamento na região. Eram caracterizados pelo uso característico do batoque ou botoque no lábio inferior ou nos lóbulos das orelhas.
 
Entre 1572 e 1921, os índios resistiram com lutas ferozes contra os colonizadores. Os Botocudos começaram a desaparecer a partir de 1921, com o desenvolvimento de Colatina e a sua emancipação política do município de Linhares, ao qual pertencia, e a onda de povoamento da Região Norte começou a partir da construção da Ponte Florentino Avidos, em 1928.
 
O desenvolvimento do futuro município de Colatina começou em 1899. A sede do distrito recebeu o nome de Vila de Colatina, em homenagem à Colatina, esposa do então presidente do Estado, Muniz Freire. Continuando subordinada à Linhares, só mais tarde a independência total chegaria ao município.
 
Desenvolvimento e emancipação
 
Os aspectos sócio-econômicos e culturais de Colatina se formaram a partir da imigração de europeus, como a maioria das cidades brasileiras. No final do século XIX e início do século XX, italianos e alemães chegaram à cidade para morar e trabalhar.
 
Além disso, o comércio nessa mesma época começou a prosperar. A Vila ganhava cada vez mais importância, com padaria e pequenos estabelecimentos próprios. Em 20 de dezembro de 1906, quando a Estrada de Ferro Diamantina, hoje Vitória a Minas, inaugurou a estação e iniciou a comunicação direta com Vitória, movimentou ainda mais a economia da região.
 
Toda a crescente vida econômica de Colatina, prejudicou Linhares, tanto no sentido administrativo, como politicamente. O que fez com que em 1907 Colatina tornasse sede do município, que anteriormente era Linhares.
 
Tudo isso veio para facilitar a emancipação de Colatina em 30 de dezembro de 1921, mas a comemoração é no dia 22 de agosto, data da fundação do município de Linhares.
 
Como Linhares virou pertencente a Colatina, em 31 de dezembro de 1943, por decisão do governo do Estado, o município foi restabelecido e desligado de Colatina. 
 
Separado de Linhares, Colatina, com território que compreendia as terras dos atuais municípios de Alto Rio Novo, Baixo Guandu, Governador Lindenberg, Linhares, Marilândia, Pancas, São Domingos do Norte e São Gabriel da Palha. Nesta ocasião, Linhares perdeu sua categoria de sede municipal, passando a ser Vila subordinada a Colatina. Só em 1945 Linhares foi desmembrado de Colatina.
 
Referência Capixaba
 
Mostrando a sua força econômica, na década de 50, o município de Colatina se tornou o maior produtor mundial de café. Já na década de 70, a industrialização colocou a cidade entre os melhores índices de desenvolvimento do Estado.
 
Com tantas conquistas ao longo do tempo, Colatina completa este ano, oficialmente, o centenário da sua fundação. Fundação essa que temos a certeza que só trouxe riquezas para o Espírito Santo e traz muito orgulho para todos os capixabas!
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

46.4%
23.4%
30.2%