05/07/2021 às 18h57min - Atualizada em 05/07/2021 às 18h57min

Joãozinho de Deus de Colatina que chama todos de padrinho e é uma criança

No ano do centenário a singela homenagem ao consagrado tipo popular da cidade

- Por Paulo César Dutra (Cesinha)
Presente & Passado
Joãozinho de Deus que gosta de ser chamado de menino e pede a benção a todos na rua. Foto: Nilo Tardin - Agosto 2019.

 
  A cidade de Colatina, no noroeste do Espírito Santo, onde nasci, nela existiam figuras  pitorescas que ficaram na memória dos colatinenses pelos seus “causos”.

Entre 1958 e 1971, conheci várias dessas figuras, entre elas os ex-vereadores “Zim Caveira” e “WadyJarjura”, o armeiro e inventor “Chico Lodi”, o namorador “Seo Miguel”, conhecido por “Outra Seo Miguel” e o “João de Deus”, que ninguém sabe de onde veio, qual a sua idade, que se perpetua pelas ruas da cidade.

Quando sai de lá em 1971, todos estavam vivos, mas pelo que me foi informado, só Joãozinho continua lá.
 
De chicote e estilingue na mão, sacolas penduradas pelo pescoço e sempre de bermudas, ele andava pelas ruas da cidade e era conhecido por todos pela frase que usava para pedir alguma coisa “benção padim, me ajuda” e esticava a mão.

Até os dias de hoje, ninguém sabe ao certo a idade dele. Não gostavque  o chame de velho e se diz '‘menino", apesar dos seus mais de 70 anos presumíveis.
 
A verdadeira história de João de Deus, também conhecido como “Rabo de Tatu”, ninguém conhece.

Conversando rapidamente, e às vezes dizendo coisas sem nexo, ele conta que nasceu em São João de Moulin (provavelmente no município de Alegre-ES),  mas não só recorda o nome do município, sabe apenas que fica no Espírito Santo. Seu pai se chamava Brás e sua mãe Vicentina de Jesus.
 
Ele continua sendo visto nas ruas do centro de Colatina, nunca soube se ele atravessou a ponte para o lado de São Silvano e se foi em outro bairro da cidade.

Ele mora atualmente na casa da minha prima Aurora Tonini (que lhe deu acolhida), na ladeira do colégio das irmãs. Ele é muito prestigiado na cidade por ser inofensivo. Gosta de ser chamado de menino e pede a benção a todos na rua. Vai sempre à Igreja e não perde uma cerimônia de casamento, mas diz que nunca vai casar porque mulher "é muito complicada".Constantemente é visto correndo atrás de garotos com pedras e dando chicotadas pelo ar, mas não agride ninguém. Só assusta aqueles que gostam de chamá-lo de velho e de doido.
 
 Anda praticamente por toda a cidade e na hora do almoço vai até a igreja. Assiste a várias missas durante o dia a dia da cidade e sabe rezar muito bem. As cerimônias de casamento são as que ele mais gosta. Aos sábados e nas sextas-feiras, ele sempre está na primeira fila ali, imóvel, assistindo a todos os casamentos.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

46.4%
23.4%
30.2%