22/08/2019 às 20h52min - Atualizada em 22/08/2019 às 20h52min

Desfile cívico pede paz na Festa de 98 anos de Colatina

Fotos Nilo Tardin. Carro Alegórico abre o Desfile da Paz 2019
Um clamor a paz em tempos difíceis, sombrios e perigosos marcou o desfile cívico militar de aniversário dos 98 anos de criação do município de Colatina, noroeste do Espírito Santo.

Dados da secretaria de educação indicam que quase 4 mil estudantes, educadores e participantes convidados de 54 escolas fizeram da Avenida Getúlio Vargas – principal via de acesso ao centro comercial e financeiro da cidade de 123 mil habitantes -, a Passarela da Paz nesse 22 de agosto. 

A temática "É Preciso Ter Paz Pra Poder Sorrir", trouxe cores e alegria à rua na manhã desta quarta-freira de clima ameno e sol entre nuvens. Uma revoada de balões brancos cobriu o céu na hora do parabéns pra você. 

Bastante teatral, o desfile 2019 revelou a face do colatinense na busca pela cultura da paz, retratada nas alegorias, cartazes, faixas, expressões e temas selecionados pelas escolas da rede pública e privada. Inclusive do ensino superior nas participações dos Campus do Unesc e Castelo Branco.

“Excelente’ gritou o comerciário Ivandro da Silva, 64 anos o Vando, colatinense ausente que veio curtir o festejo. “Tenho muito orgulho de estar em aqui fazendo parte desta festa brilhante em homenagem a minha cidade querida, Colatina a nossa Terrinha”, frisou Vandinho. Já o prefeito de Colatina Sérgio Meneguelli após rodopiar de bicicleta na área de manobra do desfile com a bandeira colatinense -, garantiu que o desfile foi ‘sucesso absoluto” pela criatividade, dedicação das instituições e zelo da equipe organizadora.

“Fiquei surpreso com o número de pessoas que vieram de fora, longe de casa para ver a festa”, revelou Serginho. É o caso da assistente social e vereadora Cristina Ferreira, 48 anos de Três Lagoas no Mato Grosso do Sul. “Viajei 3 mil km  para vir a Colatina na sua data comemorativa só para conhecer pessoalmente o prefeito Sérgio Meneguelli. Acho ele incrível”, revelou  Cristina.

Ao som das bandas marciais de Colatina e Baixo Guandu,  o pedido coletivo de paz mundial fez efeito sem nenhum incidente ou reclamação durante as três horas do evento comemorativo.  A canção 'Tocando em Frente' de Almir Sater e Renato Teixeira foi tema de abertura do evento interpretada  pelo jovem Breno Tardin 
que vem ganhando destaque na música  colatinense.

As polícias militar,  civil, ambiental, bombeiros e agentes penitenciários ao som da Banda Marcial da Polícia Militar abriram o desfile, alias com a presença do marinheiro José Dias, 93 anos timoneiro do Vapor Juparanã, o navio que singrou o Rio Doce de 1927 a 1955. Ele é o único tripulante vivo da embarcação de 300 passageiros.

Os Vingadores invadiram com tudo a passarela para garantir que a paz reinará o ano inteiro na Princesa do Norte.

A espetacular apresentação das escolas do Bairro Columbia emocionou o público que lotou os dois lados da avenida.  O encontro das religiões e o figurino impecável dos alunos, retratando as grandes doutrinas e avatares arrancou aplausos e emoção da platéia.

Os motores dos Jipeiros, Clube do Fusca, Carros Antigos e Motoclubes roncaram ao fechar o festejo em honra a Colatina.

A cidade ganhou nome incomum de mulher em homenagem a Dona Colatina Muniz Freire esposa do então governador do estado. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Quais são os piores motoristas de Colatina

42.1%
25.0%
32.9%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...